Quando comecei a estudar BPMN, tudo o que eu desejava era encontrar um artigo igual este que irei escrever aqui. Nada melhor que uma introdução bem breve para passar uma visão geral sobre os elementos do BPMN para posteriormente aprofundarmos no assunto. Lembro aos mais experts no assunto, que este artigo é uma introdução básica, logo, não irei entrar nos mais profundos detalhes de cada item, será uma iniciação superficial porém rápida. Favor também desconsiderar as cores e o design dos objetos, pois a especificação BPMN 2.0 não prevê nenhum tipo de cor para os objetos.

Basicamente, o BPMN é composto por 4 grupos de elementos visuais:

  • Partições (Swimlanes)
  • Objetos de Fluxo (Flow Objects)
  • Objetos de Conexão (Connection Objects)
  • Artefatos (Artfacts)

Vamos ver o que cada grupo deste representa dentro de um diagrama BPMN.

Os elementos que compõem o grupo de Partições (Swimlanes) são:

  • Piscinas (Pools): Representam o processo que está sendo mapeado. Dentro dela é que serão desenhadas as atividades do processo. São representadas por uma caixa retangular contendo o nome do processo.

  • Raias (Lanes): Representam um papel desempenhado dentro de um processo. Pode ser um departamento(compras, vendas) ou atores(supervisor, empregado). São representadas por uma caixa retangular inserida dentro de uma piscina.

Os elementos que compõem o grupo Objetos de Fluxo (Flow Objects) são:

  • Tarefas (Tasks): Representam um trabalho que é realizado dentro do processo (receber pedido, enviar formulário). É realmente o que pessoas ou máquinas realizam, seja interagindo com um sistema informatizado ou não. São representadas por uma caixa retangular com bordas arredondadas e o nome da tarefa no centro.

 

  • Subprocessos (Subprocess): Representam um processo que está inserido dentro de um processo, ou seja, é praticamente como se fosse uma tarefa mas com os seus passos internos bem definidos. Um subprocesso pode definir vários atores internos. São representados por uma caixa retangular com bordas arredondadas (igual a tarefa) e uma caixa centralizada com um símbolo de positivo, que representa que o subprocesso pode ser expandido.

 

  • Eventos (Events): Representam alguma ação que pode ocorrer durante o processo. Seja no início, na execução ou no final dele. Receber um telefonema, aguardar 2 dias e enviar um e-mail ao final do processo são exemplos de ações que ocorrem em um processo. São representados por um círculo.

 

  • Portais (Gateways): Representam uma convergência ou uma divergência no fluxo do processo. Quando o fluxo chega a um portal uma decisão é tomada dependendo do tipo de portal. São representados por um losango.

Os elementos que compõem o grupo Objetos de Conexão (Connection Objects) são:

  • Fluxos de Sequência (Sequence Flow): Indicam a ordem em que as tarefas serão executadas. É utilizado para dizer que após realizar a tarefa “A”, realiza a tarefa “B”. São representados por uma linha contínua com uma seta preenchida na ponta.

 

  • Fluxos de Mensagem (Message Flow): Indicam como as tarefas de diferentes raias trocam mensagens entre sí. São somente utilizados para conectar objetos entre piscinas diferentes e indica que a tarefa “A” envia uma mensagem à tarefa “B” durante a sua execução. São representados por uma linha tracejada com um círculo não preenchido na ponta “de onde vai” e com uma seta não preenchida na ponta “para onde vai”.

 

  • Associações (Associations): São utilizadas para associar artefatos à objetos de fluxo. Tem caráter informacional. São representadas por uma linha pontilhada.

Os elementos que compõem o grupo de Artefatos (Artfacts) são:

  • Grupos (Groups): São utilizados com a finalidade de documentação e marcação. Não alteram de maneira alguma o fluxo do processo pois são apenas elementos visuais. São representados por uma linha tracejada e pontilhada.
  • Anotações (Annotations): São utilizadas para descrever melhor algum processo. Não alteram o fluxo do processo e são apenas elementos visuais como os grupos. São representados por colchete com a descrição dentro.
  • Objetos de Dados (Data Objects): Indicam quais são os insumos ou artefatos gerados por uma tarefa. Não alteram o fluxo do processo. Podem representar documentos que são necessários para um processo, um relatório gerado, etc. São representados pelo desenho de uma folha com “orelha-de-burro” (dog-eared).
  • Armazenador de Dados (Data Store): Indicam uma base de dados onde as informações podem ser inseridas ou consultadas. Dependendo do caso, podem representar uma interface de integração de dados entre processos. São representados pelo típico desenho de banco de dados, um cilíndro.

Estes são os 4 grupos de elementos que podemos representar com o BPMN. Apesar do post ser uma revisão geral, creio que já irá agregar conhecimento aos novos na área e reciclar o conhecimento de quem acabou esquecendo dos conceitos principais.

Esta foi apenas um alinhamento rápido que será necessário para continuarmos as nossos estudos. Sem este conhecimento básico é muito complicado partir para as interações entre os objetos e casos mais complexos.

Nos próximos posts entrarei a fundo em cada tipo de elemento e suas aplicações práticas.