Atualmente tenho me deparado com uma situação que muitos de vocês podem estar passando ou infelizmente gerando. E caso algum leitor seja o gerador de alguma das situações que serão apresentadas, indicarei um bom caminho para diminuir este problema que tanto atrapalha o dia a dia dos analistas de processos.Aí que surge o tal problema:

Como trabalho na área de análise de processos, está sendo muito comum me deparar com algum fluxo de processo gerado por algum outro profissional ou colega de trabalho, afinal são muitos projetos que são desenvolvidos paralelamente e como o nosso perfil é de um profissional que pode ajudar em vários projetos concorrentemente, é comum entrarmos em contato com vários fluxos de processos. Aí que surge o tal problema:

Vejo vários profissionais da área que não sabem utilizar corretamente os elementos do BPMN. São realmente casos que você tem que ficar olhando e olhando o fluxo de processo para tentar desvendar o que o criador tentou expressar. Você olha o fluxo desenhado e logo pensa: Qualquer livro ou apostila de BPMN apresenta este tipo de informação básica, então esta pessoa não deve ter lido!

BPMN_erros
Ora, penso da seguinte maneira: Se vou ter que modelar em BPMN, não preciso saber todos os padrões de fluxos, as melhores técnicas ou melhores formas de análise (apesar de eu sempre buscar estas 3 excelências), mas para mim é obrigatório que eu saiba utilizar cada elemento do BPMN corretamente! É obrigatório(pois é o mínimo aceitável), se digo que sou um profissional da área, saber empregar os elementos para transmitir a informação de forma correta, certeira e desambigua.

São vários Gateways utilizados de forma errada, Fluxos de sequência que faltam, Eventos que são utilizados sem a menor lógica, nomenclatura de processos que não condizem com algum padrão básico. As pessoas desenham e desenham os fluxos mas não conseguem agregar valor por falta de um conhecimento básico!

Isto vale tanto para quem escreve quanto para quem lê! É necessário que o leitor de um fluxo modelado em BPMN conheça também cada elemento do BPMN para que não faça alguma interpretação errada e facilite a comunicação.

Entendo que:

Um fluxo de processos deve ser auto-explicativo! Deve ser possível entender um fluxo de processos apenas olhando para o fluxo, sem a necessidade de ter ninguém ao lado para explicar nenhuma questão envolvida. Este é o meu objetivo ideal que busco quando vou modelar algum fluxo de processos, que as pessoas consigam “ler” sem nenhuma dependência minha.

Vejo que infelizmente muitos encaram o BPMN como simples “caixinhas”, e isto o BPMN realmente não é! É necessário sim o estudo e dedicação para aprender esta nova “linguagem” afinal, ninguém fala bem inglês se não for lá investir boas horas estudando!

Se olhando a imagem apresentada, que desenhei intencionalmente, você não conseguir identificar pelo menos 5 erros, você pode estar atuando hoje como gerador de fluxos de processos errados!

Então se você está passando por estes problemas ou se enxerga que você tem gerado este tipo de situação, não se apavore! Aqui mesmo no link de livros (http://bpmvision.blogspot.com.br/2012/05/livros-que-eu-indico.html) você encontra boas indicações para aprender o BPMN com qualidade! E também começarei a criar artigos dedicados ao ensino da utilização correta dos elementos do BPMN para simplificar a todos. Mas adianto que geralmente qualquer literatura que você ler irá aumentar o seu nível consideravelmente!

O que se deve fazer na minha opinião é tirar uma semana para estudar os elementos BPMN. Dependendo da sua dedicação, você já fica craque! Só não tente se aventurar neste mundo sem antes ter o conhecimento mínimo necessário, não espere você ter que usar um elemento novo para ir estudá-lo. Estude antes pois com certeza as suas soluções serão mais certeiras e se farão entender!

E para finalizar,é claro, nunca deixe de ajudar ninguém e repassar o seu conhecimento a frente! Construa um ambiente produtivo!